Arquivo mensal: março 2016

VALORIZAR-SE

VALORIZE-SE

Sentes falta de atenção, de carinho, de valorização, de brilho na vida?

Qualquer que seja a tua situação, considera-te uma pessoa que evolui, vence desafios e está sempre bem.

Vê com simpatia o que te acontece ou rodeia e procura dar mais atenção e carinho do que receber. Talvez os outros sejam deles mais necessitados do que tu.

Ademais, que tal considerar como suficientes as bênçãos de Deus? Não é a luz do sol, clara e quente, um afago e um bem? E o que dizer da água, das plantas que fornecem alimentos e frutos?

SENTE-SE VALORIZADO.

A vida te valoriza o tanto que mereces.

Venceremos!

 

Sempre Alegre – Lourival Lopes

ENDEREÇO DE URGÊNCIA

image Nos dias felizes, Trabalhar e servir mais.

Diante das provações, Trabalhar e servir com paciência.

Nos momentos amargos, Trabalhar e servir sem reclamações.

À frente de injúrias, Trabalhar e servir, desculpando sempre.

Nas advertências da crítica, Trabalhar melhorando as tarefas.

No tumulto da discórdia, Trabalhar e servir, promovendo a harmonia.

Em meio da tempestade, Trabalhar e servir com a luz da oração.

Perante adversários, Trabalhar e servir, valorizando a cada um.

Na incompreensão dos amigos, Trabalhar e servir, cultivando o silêncio.

Nas arremetidas do mal, Trabalhar e servir, confiando na supremacia do bem.

Em qualquer circunstância, trabalha e serve, quanto puderes.

Quem trabalha renova.

Quem serve oferece algo de si no amparo aos outros.

E quem oferece algo de si, em favor do próximo, age em três dimensões:

– beneficiando a si mesmo pelo merecimento da doação;

– ao necessitado pelo apoio de instante certo e à Divina Providência,

– pela execução do amor, que é base de toda a Lei.

Por isso mesmo, o Auxílio do Mais Alto verte dos Céus para todas as criaturas, mas o lugar onde estiveres trabalhando e servindo é o Endereço de Urgência para que se te faça, em qualquer necessidade, a entrega imediata do Socorro de Deus.

 

Do livro Amanhece, obra mediúnica psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier.